sábado, 6 de agosto de 2016

AMARGURAS


AMARGURAS

Picado entre caminhos selvagens,
Fazer trilhos por entre espinhos,
Vou seguindo meus passos de dor,
Procurando doces carinhos.

Sentindo a escuridão da vida,
Procuro o Sol para me iluminar,
O cintilar da Estrela cadente,
A calma nas ondas do mar.

Que brilho está na lua linda,
Parece que me vem ajudar!
A ti que chamam a feiticeira,
Vejo brilho no teu olhar.

Nos caminhos selvagens,
Não há nada que me choque,
No futuro quero encontrar,
Alguém que me dê um toque.

Traga a minha alegria à vida,
Ela que sempre procurei,
Que alegre o meu coração,
Amor por ti sempre sentirei.

António Gonçalves

in “A minha verdade”

Sem comentários:

Enviar um comentário