sábado, 3 de janeiro de 2015

MENINO JESUS TRIPEIRO



MENINO JESUS TRIPEIRO

No Porto, o Natal
É exatamente igual
A outro Natal qualquer:
Veste-se uma Maria de mulher,
Inventa-se um S. José
E celebra-se a missa do galo na Sé.
Enchem-se as ruas de vaidade,
Mil luzes iluminam a cidade,
Faz-se, em Dezembro, um outro carnaval.
Mente-se ao velho, ao jovem, à mãe
E não se pensa que a prostituta também
Sonhou ter uma noite de Natal.
Mas, no Porto, o presépio está incompleto.
O Menino Jesus não quis lá ficar.
Foi brincar com os meninos da Ribeira
E quis consoar à sua beira.
Comeu bacalhau cozido e rabanadas.
Não tinha prendas embrulhadas,
Mas teve uma noite especial
Com o calor do verão em tempo de Natal.
Este Menino Jesus
É como a minha cidade:
É nobre, leal e solidário.
É um anjo revolucionário.
É um catraio forte e muito matreiro.
Este menino jesus é nosso e é Tripeiro!

Lourdes dos Anjos

Sem comentários:

Enviar um comentário